Placa entrada - O Sítio

Processo criativo da logomarca O SÍTIO

Por José Faria

Identificar visualmente um conceito requer um manejo de ideias que podem ser muito sutis ou extremamente elaboradas, o que não significa que no resultado final apareça uma coisa ou outra. Para iniciar um estudo de marca, é necessário entender o grau de subjetividade do projeto, quanto mais objetivo e segmentado for, de certo modo, os desenhos se constroem no plano das ideias antes mesmo dos primeiros rascunhos. Diferente disso é algo de natureza mais subjetiva, que tende a nos deixar em um oceano de possibilidades e a pergunta é sempre a mesma: pra onde devemos remar?

Nessas horas vou em busca de teorias e estudos mais aprofundados nas áreas da ciência, arquitetura, arte, natureza, enfim, procuro buscar inspiração e referências em um plano mais aberto, fazendo o exercício de olhar de longe para o problema, me distanciando de possíveis atalhos que poderiam tornar o caminho mais fácil.

A marca do O SÍTIO foi um desses casos. O projeto, que já vinha sendo construído com o nome de Coletivo, em outro local, estava de mudança para um espaço muito mais interessante. E não só isso: também estava renascendo com uma nova proposta, colocar em prática a interação de pessoas em torno da arte, da comunicação e da inovação.

O produto, nesse caso, seria o dar e receber, o meio e as pessoas. A definição que estamos acostumados a escutar atualmente para denominar isso é: compartilhar.

Cooperação, cocriação, coworking, foram alguns dos vetores para esse projeto. Em um primeiro momento, o uso da palavra co_alguma coisa, foi trabalhado, mas o receio era que fosse a repetição da fórmula usada no Coletivo e em iniciativas que surgiram por outras cidades e países no final de 2014. Era o momento do co-isso, co-aquilo.

No meio do processo, um fato novo surgiu, o projeto ganhou um nome, o Sítio, na verdade, já era como as pessoas, moradores e proprietários se referiam a esse espaço. Foi feita então uma consulta com o grupo que estava trabalhando no projeto para decidir se este seria um nome possível para ser levado em frente.

A opção foi que sim e, nesse momento, aquele oceano de ideias se transformou em um grande rio, com correnteza e margem. Já sabíamos que o risco era que o nome passasse a ideia de uma chácara rural, mas o desafio estava posto. O nome é bom, mas como fazer ele servir ao propósito do projeto.

Em situações como essas vou correndo pro dicionário, de preferência, o melhor e mais completo. Lá, para a minha surpresa, vi que o significado de Sítio para propriedade rural, era o quarto ou quinto item, em grau de importância, o sítio quer dizer local.

Nos dias que se seguiram, enquanto rabiscava algumas ideias, assisti um documentário sobre o Design Italiano na década de 60/70, que se inspirava muito em objetos circulares, o conceito era que o universo é composto por elementos circulares, planetas, estrelas, asteróides, dançam pelo espaço traçando parábolas, e isso inspirou a criação de luminárias, móveis, objetos de decoração, utensílios domésticos, carros, motocicletas, entre outras coisas. Refletindo sobre o assunto, fiz o caminho inverso e fui até os menores elementos como um átomo, uma célula, e me dei conta do que já se sabe, tudo é formado por esferas e a aglutinação delas é que forma a força da matéria.

 

O significado de sítio então era local, e esse local pode ser um ponto, um bairro, uma cidade, um planeta, uma célula, uma finalmente uma pessoa, entendi que isso poderia ser usado para passar a ideia que compartilhando o conhecimento podemos fazer parte de um universo maior e que nessa interação dos elementos, nós, como indivíduos, formamos grupos, que formam comunidades, cada um com a sua característica, sua história, se somando
no todo.

Graficamente, ao olhar para o universo, para o planeta Terra, e para o bairro onde está localizado o espaço, circulei no mapa o terreno e dentro desse círculo escrevi O SÍTIO.

O detalhe, sutil, é que na marca, existe 3 círculos, o menor (a letra sítiO), representa o indivíduo, o maior ( a letra O sítio), um grupo de indivíduos, e a esfera grande, o projeto que abriga esse movimento de crescimento individual e coletivo.

A solução gráfica ficou simples, ou usando uma palavra mais sofisticada, minimalista, foi construída com um raciocínio de sustentação de conceito, um símbolo limpo e objetivo, que particularmente me agrada. Fiquei contente com o resultado, quando apresentei a proposta, o comentário que mais gostei foi que parecia que aquela marca já pertencia ao Sítio fazia tempo. Então já é, já era, já foi e está sendo. Vida longa ao Sítio!

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO...

  • parabéns Zé, belíssima apresentação da logomarca e seu conceito. abração, tião.

  • Muito bom Zé.

    Wander Levy