habitar-de-joao-aires_21-08-2015_o-sitio habitar-de-joao-aires_21-08-2015_o-sitio

Habitar

habitar-de-joao-aires_21-08-2015_o-sitio
Data
De 21/08/15 até 29/08/15
Onde
O Sítio

DEIXE SEU COMENTÁRIO...

SOBRE A Exposição

Os artistas visuais João Aires e Ayao Okamoto estarão em cartaz com exposições individuais, a partir do dia 21 de agosto, sexta feira. Eles formam a  segunda dupla de artistas com mostras simultâneas, organizadas pelo escritório Myrine Vlavianos de Arte Contemporânea, em parceria com o Sítio.

Habitar e Superfícies não é um diálogo entre as obras destes artistas, mas a ideia é promover e ampliar uma conversa mais próxima e direta com o público de ambos. “Mas se fossemos estabelecer um elo entre as duas exposições, eu diria que está na relevância do processo: entender como as obras foram executadas é condição importante para compreendê-las”, enfatiza a também galerista Myrine.

 

Habitar

 O português João Aires, radicado na Ilha, traz um tema recorrente para esta exposição: as habitações. Cápsulas, Naves, Habitáculos e Habitar são os nomes das séries de desenhos e pinturas que explicitam essa temática. Os trabalhos suscitam uma ligação entre o espaço urbano e o imaginário, questão predominante na trajetória deste artista.

Para esta mostra ele parte de uma citação do filósofo existencialista Jean Paul Sartre, que afirma: “Os apartamentos não são mais habitações criadas para os homens, mas sim máquinas de morar destinadas a guardar coisas: cada edifício é um armário, cada sala é uma gaveta.”

João busca explorar os lugares de intimidade das pessoas e como eles se apresentam no mundo. Para o artista, “habitar está presente no tempo, nas estradas, na cidade. Habitar o que construo com a arte é um exercício constante de compreensão do mundo, um modo de traduzir minhas experiências e inquietações, já que toda construção tem por meta o habitar.

Na série Habitáculos, por exemplo, os desenhos são realizados a partir da descrição de quartos feita por terceiros como retratos falados. Nas pinturas surge um espaço sem fronteiras aparentes, onde camas navegam em rios e na densidade onírica. Já a grande pintura que dá título à mostra, Habitar, é um work in progress que poderá ser concluído ao longo da exposição.

“O excesso de informação na minha pintura surge da falta de diálogo, da proximidade geográfica e da distância da construção que serve ao habitar humano e às relações”, resume o artista.

Sua mostra é um conjunto de 40 desenhos em grafite e nanquim sobre papel, quatro desenhos em grafite, nanquim e aquarela sobre papel, cinco pinturas em acrílica e óleo sobre tela, em variados tamanhos. Todas as obras foram realizadas em 2015 especialmente para esta exposição.

Principais exposições individuais:

2014 On the road, Coletivo Arte e Comunicação,Florianópolis;

2013 “Diálogos com o cotidiano”, Ágape, Pelotas,RS;

2011 “Lixo invisível de João ninguém”, Galeria Canizares, Salvador;

2011 “Os cata-dor”, Galeria 110, Porto;

2009 “Pão e vinho sobre a mesa”, Museu Nacional Soares dos Reis, Porto; 2008 “Tentativas de Limpeza”, Instituto Superior Técnico, Lisboa;

2005 “Pinturas de passagem”, Salzamt, Linz, Áustria.

 

Principais exposições coletivas:

2014 Feira de Arte Contemporânea Parte, stand Myrine Vlavianos, São Paulo; 2009 “É favor pisar as flores”, Rua branca para pintar, Porto;

2009 “Reanimation”, Casa da Roda, Porto;

2008 “Pintura sobre vidro vista do lado não pintado dá um infra-leve”, Fundação José Rodrigues, Porto;

2008 “4 Cirrus no céu”, Fórum da Maia, Maia, Portugal.

  • João Aires – Curadoria e produção

    João Aires

    João Aires é coordenador cultural do Sítio. Mestre em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia (2011), graduou-se em Artes Plásticas...

    CONHEÇA MAIS