Documentário: uma ferramenta essencial para estimular o raciocínio lógico e a consciência humana.

Data
31/03/18
Onde
O Sítio
Mais detalhes

R$ 150,00

Inscrições abertas

Documentário: uma ferramenta essencial para estimular o raciocínio lógico e a consciência humana.

Este minicurso propõe uma metodologia para mediar a abertura do pensamento e raciocínio crítico, facilitando, com isso, o entendimento e a evolução do raciocínio nas problematizações da Física, sem ter que abrir mão de aprofundar, matematicamente, a Ciência Física.

A estratégia consiste na utilização de documentários e artigos sobre questões sociais, políticas, ambientais e científico-tecnológicas. A escolha dos mesmos teve por princípio em uma disciplina do mestrado denominada CTS: Questões Contemporâneas, ministrada pelo Professor Doutor Walter A. Bazzo.

O método é realizado uma ou duas vezes por bimestre e consiste em: visualização/leitura, reflexão individual, escrita crítica, trabalho em grupo e debate/argumentação. O assunto quase sempre aborda questões humanitárias de modo a mostrar a complexidade e as relações subjetivas existentes entre o sistema econômico e político vigente, a ciência e a tecnologia com as condições sociais; além de assuntos científicos e tecnológicos contidos nos meios de comunicação e suas, quase sempre, meia-verdades.

Essa metodologia foi pensada e experimentada, tendo como base científica o estudo de Doutorado de Waldemar De Maio, que verificou: “[..] a área do cérebro que corresponde ao entendimento da linguagem e do cálculo exato, do raciocínio lógico-matemático são muito próximas e interligadas” (2002, pág 61). Na medida em que eles evoluíam no raciocínio lógico matemático dos problemas da Física, os debates seguintes também se tornaram mais críticos e reflexivos. Novamente o estudo de De Maio (2002) nos auxilia na compreensão deste fenômeno quando ele diz que “A matemática funde-se com a Física, que fundamenta a Química, que explica a Biologia, que justifica os comportamentos e é a base para as análises sociais” (pág 53). Ainda neste sentido, Bazzo e Barbosa, em um artigo relacionado ao uso de documentários em sala de aula, afirma: “Assim, entendemos que o uso de recursos audiovisuais, como documentários, na sala de aula, afia os sentidos daqueles que os perguntam por meio de imagens e sons. Estes dois elementos, bem representados, por sua vez, são misturados aos sentimentos dos sujeitos e provocam emoções que desencadeiam algum pensamento, alguma reflexão; O que Bachelard (1996) chama catarsis intelectual e afetivo. “(BARBOSA, BAZZO, 2014).

Portanto, o uso de documentários com debates e ensaios subsequentes estimula a empatia dos alunos, além de desenvolver maior capacidade de relacionar áreas do conhecimento com fatores sociais, ambientais, políticos e econômicos.

Apresentação da oficina:

Cronograma:

– Física Geral: nessa aula em especial será abordado o assunto eletricidade, fontes renováveis, energia limpa, potência elétrica
– Química Geral
– Biologia Geral
– Assuntos sociais, ambientais e econômicos
Obs,: a aula é multidisciplinar, mostrando a importância de todos os conhecimentos e a ligação entre eles, porém o foco principal será na Física. Nesse documentário, o assunto principal é a geração de energia elétrica.

Metodologia:

Primeiramente os participantes assistem ao documentário, em seguida escrevem uma resenha sobre o mesmo. A turma será dividida em grupos, cada grupo formula 3 questões abertas e discutíveis. Essas questões serão debatidas no grande grupo, havendo o envolvimento de todos no debate. O mediador faz papel de observador, para, depois de terminado o debate, fazer comentários e debater com a turma, principalmente nas relações existentes entre a Ciência, Tecnologia e a Sociedade. Em seguida os participantes refazem a resenha. As aulas expositivas com conteúdos específicos da Física tornaram-se mais completas e aprofundadas, pois todos estão mais abertos ao raciocínio, facilitando a resolução de problemas complexos.

Diferencial dessa oficina:
· Resolução rápida de problemas relacionados à Física
· Melhor compreensão da relação entre Ciência, Tecnologia e Sociedade
· Melhor fluência na correlação de questões socioambientais com fatores históricos, políticos, científicos e tecnológicos
· Maior estima e familiaridade com a Física
· Demonstração da importância do conhecimento geral
· Abertura para debater e conversar com estudantes fora da sala de aula
· Persistência no aprendizado consistente

Público-alvo:
Professores de Ciências da Natureza, formado ou cursando curso superior, em especial na disciplina de Física

    ministrante

  • Flávia Rodrigues de Souza

    Sou natural do interior de Minas Gerais mas moro em Florianópolis desde os meus dois anos de idade. Sempre fui muito estudiosa, principalmen...

    CONHEÇA MAIS